1

Com uma missa em ação de graças presidida por D. Antônio Neto, no dia 5 de maio de 2015, deu-se início às comemorações dos 50 anos da Mariápolis Santa Maria, localizada em Igarassu (PE), a 30 km da cidade do Recife.

Vinte anos após o fim da II Guerra Mundial, em 1965, se concluía o Concílio Vaticano II, que marcou a Igreja Católica com profunda renovação e atualização de suas práticas. Também naquele ano, foi aprovado o Estatuto do Movimento dos Focolares, com o nome oficial de “Obra de Maria”. A partir desse reconhecimento pela Igreja, Chiara Lubich e o primeiro grupo das e dos focolarinos compreenderam que era chegado o momento de expandir e consolidar o Movimento nascido entre eles em todo o mundo.

A cidade do Recife, no nordeste brasileiro, foi quem recebeu por primeiro, fora da Europa, um grupo de focolarinos. Também ali, surgiram as primeiras estruturas físicas do Movimento dos Focolares no continente americano, como as casas lauretanas e o Centro Mariápolis. Naquele ano, Chiara visitou as nascentes comunidades da Obra, em alguns países das Américas, entre eles Brasil. No dia 30 de abril de 1965, ela foi acolhida pela comunidade do Recife. Após vários encontros, inclusive com o Arcebispo de Olinda e Recife à época, Dom Helder Câmara que, como Chiara, está com vida e obra em análise no processo de canonização, constatou-se a necessidade de se ter um centro de formação adequado ao Movimento. Chiara pediu a Ginetta Calliari que encontrasse o terreno: “Você procura o terreno que eu quero ver” – disse-lhe. Assim, como registra o diário de Chiara do dia 5 de maio daquele ano, o local fora identificado e adquirido:

“Hoje Nossa Senhora enviou um presente para o Brasil que nem sequer imaginávamos. Um terreno de oito hectares e meio para a construção de um Centro Mariápolis. Esta notícia alegrou naturalmente a todos. Há nela uma plantação de coqueiros, com cerca de setecentos pés, plantados ordenadamente, o que a torna bonita. Chega-se lá por uma estrada asfaltada, em 35 minutos de carro do centro de Recife. (…) O primeiro hectare é todo plano e servirá ao ‘Centro Mariápolis’. (…) esta terra possui algo extraordinário. Em dois dias, ela foi encontrada, negociada e comprada. E é esplêndida:  fascina até mesmo quando chove. A comunidade dá com alegria quase a metade do pagamento e este dinheiro é recolhido a custas de esforços inimagináveis com a mesma inimaginável generosidade”.

Chiara

Tudo era festa, momento de grande alegria e emoção para todos!! A comunidade se reuniu em torno a Chiara para comemorar aquela conquista.

Imediatamente, iniciaram-se os trabalhos de construção do Centro Mariápolis.  No dia 7 de maio, pouco antes de retornar à Itália, Chiara escreveu em seu diário o que pensava naquele momento:

“Senti uma grande emoção na terra que tem o nome de Maria: Santa Maria. (…) Agora Nossa Senhora possui o seu centro, que confiamos a Jesus Eucaristia (…) e aqui no Centro a sua presença mística se perpetuará. Pedi a Ele, fervorosamente, que daquele lugar possa recolher uma glória infinita para si e para Maria, e nenhuma para os homens. Hoje partimos: Adeus, Brasil! Aqui, na tua terra, deixo também o meu pobre coração, mas estou certa de que Maria veio até aqui e olhou para ti com imenso Amor”.

 Mariapolis Santa Maria2Mariapolis Santa Maria3

Meio século de história

Passados 50 anos daquele momento histórico, a comunidade dos Focolares vê hoje realizada a profecia de Chiara e comemora a existência da Mariápolis Santa Maria, local onde já foram formadas ao Carisma da Unidade inúmeras pessoas, de diferentes gerações. As comemorações tiveram início no dia 05 de maio de 2015, quando cerca de 200 pessoas, entre autoridades civis e religiosas, estiveram presentes na missa comemorativa, presidida por Dom Antônio Neto, bispo auxiliar da Arquidiocese de Olinda e Recife. Eis um trecho de sua homília: 50 anos após essa Obra pousar nessa terra, a profecia, a palavra de Chiara se cumpre aqui nesse momento: “Toda glória seja dada a Deus e a Virgem Maria e nenhuma glória a nós”. Nenhuma glória aos que vieram nenhuma glória aos que estão vivendo a Obra no presente e nenhuma glória aos que virão no futuro. Aos “empregados da Obra” resta apenas o salário, a alegria do salário, o salário da vida Eterna.

Mariapolis Santa Maria1

Ao longo do ano, diversas atividades recordarão o “Jubileu de Ouro” da Mariápolis, que se concluirá com uma grande jornada festiva, agendada para o dia 21 de novembro desse ano.

Mariapolis Santa Maria4

Para dar só glória a Deus! Esse é o motivo primeiro e único da existência dessa cidade que, através do amor recíproco e a caridade vivida constantemente entre os seus habitantes, tem a missão de ser “luz sobre o monte”. Com esse espírito e motivação, os habitantes da cidade de Maria mantêm vivo o compromisso de viver e ajudar a concretizar o “Que todos sejam um!” – testamento de Jesus e fonte inspiradora do Carisma da Unidade.

 


Compartilhe no

Facebook WhatsApp

Regolamento (500)

 

Commenti

  1. Iolani Sere

    Que belo!
    Assim invadiremos o mundo de notícias “IMPORTANTES”.
    Tenho orgulho de ter contribuído “arregaçando as manga” desde o início da Mariápolis Santa Maria. Tudo para a GLÓRIA DE DEUS E NENHUMA AOS HOMENS”.
    Sere

    Responder