Ibiporã ganha Monumento Dado da Paz

 

 

Dia 12 de outubro de 2016, a cidade paranaense de Ibiporã ganhou o Monumento Dado da Paz em sua praça central, com a presença da comunidade local, autoridades e cidades circunvizinhas.

Como surgiu a ideia do Dado da Paz?

Dado da Paz_08 A professora Fátima Pietro transferiu-se para a cidade de Ibiporã trazendo consigo a experiência da “Educação para a Paz”. Após um ano de aplicação do projeto em uma das suas salas de aula no Colégio Olavo Bilac, através das experiências, ficou evidente que o projeto produzia seus frutos de paz. Este ano, juntamente com os adolescentes do Movimento dos Focolares (Movimento Juvenil pela Unidade – MJPU), assumiram de jogar o Dado não só no Colégio Olavo Bilac como também em outras escolas do município, inclusive na Escola de Formação e Cidadania de Ibiporã, onde participam crianças e jovens de 07 a 18 anos. A este ponto vale lembrar que esta é uma escola profissionalizante seguida diretamente pela primeira-dama, onde já se aplicava o projeto do “Dado do amor” o qual tem uma pedagogia semelhante ao Dado da paz.

Percebendo a influencia que esse estilo de vida estava trazendo no meio juvenil, com os responsáveis locais do Movimento dos Focolares, surgiu uma inspiração: construir um grande Dado da Paz e colocá-lo na praça central da cidade, com o desejo de que todos que por ali passam, ao girar o dado, possam ser provocados positivamente a refletir sobre a paz e como aplicar concretamente a face que fica evidente.

Dado da Paz_04Na inauguração apresentamos a proposta do projeto, rezamos pedindo a Paz no Mundo intercalando com nossas músicas e coreografias.

Destacamos a presença de algumas autoridades: Prefeito José Maria Ferreira e primeira-dama Eliane B. Ferreira, Pe. André Luiz de Oliveira, Pe. Vagner R. Pereira e representantes do COMPAZ (Conselho Municipal de Cultura de Paz de Londrina), dentre outras.

O que os adolescentes dizem sobre o Dado da Paz:

Dado da Paz_11Nós vamos às escolas para falar de paz aos jovens, porque pensamos assim: se nós temos a paz, porque guardar só para a gente? Precisamos passar e vivenciar a paz para que todos vivam em unidade, isto é amor ao próximo. Eu preciso dos outros para viver em paz.

“Está sendo um aprendizado, está nos dando a oportunidade para enxergar as coisas com um novo olhar. Eu jogava o dado e pensava de praticá-lo fora de casa, assim não praticava com a minha família, então percebi que deveria me aproximar deles cada vez mais” – Julia.

“Nunca fui próxima da minha avó, comecei a me aproximar dela e praticar o amor em casa , assim eu percebi mais o carinho da minha família e comecei a escutar” – Hellen.

“Me deparei com um pobre pedindo dinheiro ou comida, porém não tinha nada naquele momento então lembrei de alguma coisa que tinha ouvido sobre o dado e doei o tempo, que era a única coisa que possuía, me preocupei e dei atenção”. O pobre surpreso e emocionado disse: “hoje é o dia mais feliz da minha vida”.

 

Nossa meta é que a comunidade, escolas, catequese, escolas dominicais, famílias… descubram por meio das faces do Dado da Paz que, no abraço coerente entre teoria e prática, entre princípios e ações, entre valores e experiências se encontra o caminho para viver a “paz” e a “unidade”.

 

 

 

 


Compartilhe no

Facebook WhatsApp

Regolamento (500)