Alunos do ensino fundamental constroem “máquina da dignidade”

 

Por Luís Henrique Marques

A ideia nasceu sob inspiração da leitura de uma matéria publicada na edição de abril de 2016 da revista Cidade Nova, intitulada “Os invisíveis em busca da dignidade”, de autoria da jornalista Natália Zen. A história é a seguinte: a professora Silvana Maria da Silva e Souza, docente de Língua Portuguesa do ensino fundamental da escola municipal Alzira Vivacqua dos Santos, de Vitória (ES), propôs a seus alunos que apresentassem uma solução criativa para o problema dos moradores de rua, conforme apresentado na matéria.

Um desses grupos em particular – formado pelos alunos Filipe Dilon, Andrew Vidoto Arthur Moura e Lucas Vasconcelos – surpreendeu a professora Silvana, que é também membro do Movimento dos Focolares na capital capixaba: eles propuseram a construção de uma “Máquina da dignidade”! Segundo o “projeto”, cada pessoa que passasse pela “máquina”, teria sua vida melhorada. Na redação que produziram, os autores admitem, afinal, que, para além da imaginação, a ideia é estimular as pessoas a acreditarem em si mesmas, como protagonistas na construção da própria dignidade.IMG-20161006-WA0006

Entusiasmada com a percepção dos seus alunos, a professora Silvana levou essa atividade a toda a escola. Professores e alunos se sensibilizaram pela causa, tiveram novas ideias que se configuraram em atividades interdisciplinares e iniciativas de solidariedade surgiram em favor dos moradores de rua do entorno da comunidade escolar. Foi como uma “onda” que contagiou a todos e que nasceu de uma ação simples, despretensiosa. Ao que parece, a “máquina de dignidade” foi capaz de produzir efeitos para além da imaginação.


Compartilhe no

Facebook WhatsApp

Regolamento (500)