Chiara Luce é homenageada na Capela do Hospital do Câncer de Sorocaba

 

Por José Benedito Gomes

Publicado no Diário de Sorocaba

“Se Tu queres, eu também o quero!”, esta frase célebre da garota italiana quando diagnosticada dois anos antes de sua partida, foi repetida algumas vezes pelo arcebispo metropolitano de Sorocaba, dom Julio Endi Akamine, ao presidir missa em memória da Beata Chiara Luce Badano no dia 10 de outubro, no Hospital do Câncer Infantil “Sarina Rolim Caracante”.

O Hospital, modelo no Brasil e até no Exterior na área, tem Chiara Luce como patrona de sua Capela não por acaso: modelo de santidade entre a juventude de hoje, também se apresenta como protetora e intercessora, sobretudo, de crianças e adolescentes que lutam por superar a doença, que a acometeu quando tinha 17 anos e passou a sentir fortes dores durante sua derradeira partida de tênis.

Dom Julio, recordando a vida e o calvário de Chiara Luce, dizia ainda que a Beata não se santificou sozinha em sua cama, porém. “Ela levou junto muitos outros e também hoje nos convida a nos santificarmos com ela”, asseverou a certo ponto de sua pregação o arcebispo, dirigindo-se aos presentes, entre eles diretores do GPACI (Grupo de Pesquisa e Assistência ao Câncer Infantil), que mantém o Hospital, integrantes do Corpo Clínico e Enfermagem, funcionários, familiares e crianças em tratamento e integrantes da comunidade local do Movimento dos Focolares, Obra de espiritualidade católica nascida na região italiana de Trento em meio à 2ª Guerra Mundial pelo carisma da Unidade suscitado por Deus no coração de Chiara Lubich e de suas primeiras companheiras e da qual Chiara Luce também partilhava como opção de fé desde os 9 anos de idade.

A celebração terminou com a exibição de breve documentário sobre Chiara Luce, declarada Beata em 2010 pelo papa Bento XVI após a comprovação de milagre por sua intercessão com a cura de um rapazinho de Trieste (Itália), Andrea Bartole, que fora afetado, em 2001, por gravíssima meningite fulminante. Os médicos lhe deram 48 horas de vida, mas ele sobreviveu depois que um tio rezou pedindo uma graça por intercessão de Chiareta.

Regolamento (500)