Joinville aprova Projeto de Lei que estabelece Semana de Defesa e Proteção da Vida

 

Como fruto de uma inciativa coletiva entre a Diocese de Joinville e casais do Movimento dos Focolares, a cidade teve um Projeto de Lei aprovado que institui oficialmente no calendário local “A Semana de Defesa e Proteção da Vida e o Dia do Nascituro”.

A aprovação veio como resposta a uma experiência de unidade entre o grupo de Famílias Novas (casais membros do Movimento dos Focolares) e a Pastoral Familiar, com a inserção de um dos casais do Movimento na Pastoral para auxiliar no setor Vida e Família.

O desafio foi aceito por Pedro e Márcia Fagundes, que levaram no coração as palavras de Chiara: ”… parte do mundo que foi colocada sobre as costas de vocês é a mais dilacerada, a mais semelhante a Ele abandonado…”

Já no início deste novo empenho, em Outubro, realizaram uma grande campanha com celebrações, palestras, seminários e reuniões com pais, jovens, lideranças leigas e consagradas em todas as paróquias, pastorais, movimentos e instituições sociais com temas de conscientização em favor da vida.

A campanha culminou com um Ato Público na Praça da Bandeira, em Joinville, uma caminhada Pro Vida, na cidade de Barra Velha e uma missa.

Após estes eventos, o grupo viu a necessidade de tornar essa semana de atividades uma semana oficial dentro do calendário da cidade “A Semana de Defesa e Proteção da Vida (1º a 07 de outubro) e o Dia do Nascituro (08 de outubro)”.

Depois de tramitações na Câmara dos Vereadores, o Projeto de Lei foi aprovado reforçando que nestas datas, toda a sociedade civil (e seus setores) e a governamental (em suas instâncias), sempre nestes dias, focada e maciçamente, comemorem, celebrem, reflitam, congreguem-se e mobilizem-se em torno deste bem maior e comum a todos, a Vida em suas diferentes expressões, manifestações, níveis e meios, desde a concepção à sua fase final.

O clima na Câmara de Vereadores foi de profundo respeito e reflexão sobre as reivindicações, devido à força da unidade que falava mais alto e fazia valer o motivo de estar ali.

“Certamente Jesus entre nós iluminou aquele espaço do povo que precisa também ser “inundado” de valores éticos; e a Igreja, por sua vez, deixou ainda mais clara sua opção. Os próprios legisladores, em seus pronunciamentos finais renderam-se aos argumentos e já anteciparam ser um retrocesso e uma contradição negar o cuidado com a Vida, tecendo inclusive, elogios à atuação salutar da Igreja e do Movimento dos Focolares na sociedade, como outros que estavam ali representados”, ressaltou o casal Pedro e Márcia.

Regolamento (500)