Reconhecer as próprias derrotas com um equilíbrio sadio

 

Quando nos colocamos diante de Deus, devemos estar sem máscaras, pois Ele conhece o nosso íntimo e perscruta os nossos mais recônditos pensamentos. Não como um juiz impiedoso, mas como um Pai amoroso que quer sempre o melhor para seus filhos.
Confessemos os nossos pecados diante Dele, reconheçamos os nossos fracassos todas as vezes que somos vencidos pela tentação da ganância, da soberba e da ira. Peçamos perdão por todas as vezes que colocamos as coisas materiais em primeiro lugar, tomando o lugar de Deus em nosso coração.
Reconheçamos o quanto somos pequenos, falhos e infiéis ao seu amor.
Quando soubermos reconhecer as nossas próprias derrotas com equilíbrio e sem fingimentos, ouviremos ecoar em nosso coração a voz de Deus: “Basta-te a minha graça; pois é na fraqueza que a força se realiza plenamente.” (2Cor 12,9)

Apolonio Carvalho Nascimento

Regolamento (500)