Sentir como próprias as necessidades do próximo

 

Para viver essa proposta devemos começar com pequenos gestos de amor no quotidiano.
Em casa, ficar atentos a coisas simples que podemos fazer uns pelos outros, pequenas gentilezas que, feitas com a intenção de amar, podem gerar um clima de harmonia no seio da família.
No trabalho, saudar a todos, a começar pelo porteiro, o pessoal da limpeza, o colega que trabalha ao nosso lado. Oferecer ajuda, interessar-nos por sua vida e suas preocupações.
Ser solícitos com os amigos, visitar alguém doente, estar presentes em momentos importantes, parabenizá-los por suas conquistas.
Enfim, pensar no outro. Até chegar ao ponto em que as suas preocupações são também nossas, suas necessidades são nossas, porque partilhamos a caminhada da vida lado a lado.
Essa é a comunhão verdadeira, a comunhão de vida.

Apolonio Carvalho Nascimento

Regolamento (500)