Abrir a porta do nosso coração ao irmão

 

Não deixemos o irmão frustrado por bater em uma porta que não se abre.
Estejamos atentos ao irmão que nos procura e às suas necessidades. Não importa se não conseguimos resolver o seu problema, o importante é abrir a porta de nosso coração para acolhê-lo. Talvez seja essa a sua maior necessidade.
Atenção, escuta, acolhida, servem mais do que uma ajuda material.
Uma porta que se abre e demonstra fraternidade é o início de um caminho que leva à paz, à solidariedade, ao respeito pela dignidade do outro e ao convívio fraterno com o amor mútuo.
Abrir as portas do nosso coração ao amor e ao perdão.
Abrir as portas do coração ao próprio Jesus que, presente em cada irmão, bate e quer entrar.

Apolonio Carvalho Nascimento

Regolamento (500)