Protagonistas de um novo tempo. É possível fazer a diferença?

 

No saguão do prédio da Associação Médica do Rio Grande do Sul uma mostra apresentava a trajetória de Chiara Lubich, fundadora do Movimento dos Focolares, e como o seu carisma inundou diversas áreas do conhecimento, protagonizando experiências de renovação e de fraternidade em todos os cantos do mundo.

No auditório, cerca de 100 pessoas reunidas para compartilhar experiências dessa humanidade nova que se formou a partir do carisma de Chiara Lubich. Sob o tema “Protagonistas de um novo tempo. É possível fazer a diferença?”, membros e aderentes do Movimento se revezaram no palco, no dia 21 de outubro, em Porto Alegre, para contar suas próprias experiências de protagonismo.

Protagonismo no Direito 

Um dos grupos presentes em Porto Alegre é o de Direito e Fraternidade que busca pensar o Direito com base no princípio da fraternidade. Além de uma nova corrente de pensamento que vem se estruturando, o grupo também realiza atividades práticas nesse sentido.

O grupo relatou a recente experiência de realizar um curso para os adolescentes da Afaso, obra social dos Focolares em Porto Alegre. Durante vários encontros, formaram os jovens sobre direitos e deveres dos trabalhadores, tema tão essencial neste período que antecede a entrada no mercado. A formatura do curso aconteceu na sede do Tribunal Regional do Trabalho e na cerimônia os jovens apresentaram de forma artística tudo o que assimilaram no curso.

Protagonismo Social

Na sequência, a própria Afaso apresentou o trabalho desenvolvido no âmbito social. Destacaram que a meta é desenvolver ações de Educação para a Paz, que tem como referência a Regra de Ouro: “Fazer aos outros aquilo que gostaria que fosse feito a você”. Na Afaso, os adolescentes participam de oficinas que despertam novas habilidades humanas e profissionais, a autoestima e a capacidade de planejamento para o futuro.

Outra experiência compartilhada no âmbito social foi de uma pessoa que embarcou como voluntária para uma cidadezinha da Amazônia, para estar junto das pessoas mais pobres daquela região e viver com elas o que elas vivem.

A plateia também escutou a experiência dos Focolares junto a Pastoral Carcerária. Como atividade, o grupo criou um Kit Solidariedade no valor de R$ 30,00 que correspondia a um pacote de materiais de higiene para uma presidiaria durante um mês.

Ainda no ambiente de trabalho, a Agência de Turismo UNITUR contou como procura viver a Economia de Comunhão ressaltando o relacionamento recíproco entre os funcionários.

Protagonismo dos jovens 

Os adolescentes também compartilharam suas experiências de protagonismo. Alguns deles participam da atividade dos Cozinheiros do Bem, fazendo e distribuindo comida para moradores de rua. Conversei com muitos moradores de rua, dando-lhes atenção e amor. Escutei muitas histórias de vida e pensei que não podemos estar tranquilos sabendo da necessidade das pessoas que estão perto de nós”, disse uma das jovens

 

 

 

 


Compartilhe no

Facebook WhatsApp

Regolamento (500)