Aceitar-nos uns aos outros assim como somos

 

Em nossa essência somos todos iguais.
Todos, sem exceção, possuem qualidades e limitações que podem se tornar motivo de distinção.
As diferenças não deveriam ser causas de separação entre as pessoas; ao contrário, deveriam ser motivo de reconhecimento e de colaboração recíproca; deveriam ser vistas como uma riqueza nos relacionamentos.
Para aceitar o outro como ele é, devo aceitar a mim mesmo com as minhas fraquezas e limitações, tendo também consciência de minhas qualidades.
O equilíbrio da relação está na humildade de reconhecer-se incompleto e em saber que na interdependência com os outros está a nossa verdadeira realização.
Podemos concluir que: aceitar-nos assim como somos é o primeiro passo para ter relacionamentos saudáveis e duradouros.
O amor, quando vivido como Jesus nos ensinou, nos leva à aceitação recíproca, à tolerância, ao diálogo, à comunhão e culmina na unidade.

Apolonio Carvalho Nascimento


Compartilhe no

Facebook WhatsApp

Regolamento (500)