Jovens por um Mundo Unido realizam ação de promoção à saúde para imigrantes venezuelanos em Manaus

 

Ação levou atendimento médico, odontológico, social e distribuiu medicamentos e doações

 

Um total de 150 refugiados venezuelanos acampados em barracas nas imediações do Terminal Rodoviário de Manaus (AM) receberam, no sábado (1/6), atendimentos de serviço social, médico, odontológico e de enfermagem de profissionais da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) José Rodrigues e de acadêmicos voluntários da área de saúde da Universidade do Estado do Amazonas (UEA). 

A ação de promoção e atenção em saúde foi organizada pelos Jovens por um Mundo Unido, setor jovem do Movimento dos Focolares, com intuito de prestar atendimento humanizado e gratuito aos venezuelanos, refugiados em Manaus, que chegam constantemente na capital em busca de refúgio por causa da condição sociopolítica da Venezuela, e sobrevivem em condições insalubres acampados em barracas improvisadas embaixo de um viaduto da cidade.  

No local do acampamento, os voluntários montaram bases de atendimento para ofertar assistência em saúde aos imigrantes venezuelanos com foco no diagnóstico e prevenção de doenças. 

No dia da ação foi realizada aferição de pressão arterial, orientações de higiene pessoal, avaliação da saúde bucal e encaminhamentos a unidades de atendimento odontológico do Sistema Único de Saúde (SUS). Também foi informado aos venezuelanos sobre quais serviços de saúde devem procurar quando precisarem de assistência mais complexa. 

Segundo o médico, Jefferson Cardoso, homens, mulheres e crianças, que vivem no local, receberam assistência médica e odontológica, além de medicamentos para tratar as doenças. 

“Os principais problemas de saúde registrados foram gripe, conjuntivite, lesões na pele e parasitoses”, comentou. 

O médico explicou que nos casos que houve a necessidade de assistência em dermatologia clínica, as pessoas foram encaminhadas à Fundação de Dermatologia Tropical e Venereologia Alfredo da Matta (Fuam), que é o centro de referência estadual, nacional e internacional nas áreas de hanseníase, dermatologia tropical e Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST). 

“Os demais foram encaminhados para atendimento em outras unidades da rede pública de saúde, como, por exemplo, a Unidade Básica de Saúde (UBS) e UPA”, informou Cardoso.   

O venezuelano Angel Rafael Dias, 22 anos, do Distrito de Caracas, ficou muito grato pelo atendimento médico e pelo medicamento recebido. 

José Rogas, 40 anos, venezuelano da cidade de Cumaná, agradeceu a iniciativa e a todos que ajudaram de alguma forma com a realização da ação. 

Ana Rodriguez, 30 anos, da cidade de El Tigre, também recebeu atendimento médico e recebeu os medicamentos para tratar a gripe, febre e alergia.

 

Venezuelanos
 

Antes da ação, um grupo de voluntários esteve no acampamento improvisado para fazer o levantamento do número de venezuelanos que vivem em situação de rua. Os voluntários verificaram que no local estão concentradas cerca de 50 famílias, totalizando 270 pessoas. 

Segundo a voluntária, Susana Mendonça, as famílias moram em barracas de camping ou em estruturas improvisadas com lonas, madeiras e até papelões. As estruturas são cobertas por plástico para proteger das chuvas constantes na região Amazônica. 

“Fizemos o cadastro das pessoas e distribuímos senhas para aqueles que precisariam dos atendimentos no dia da ação”, disse Susana.

 

Doações 

As doações como medicamentos, alimentos, roupas e sapatos, para ajudar os refugiados, foram cedidas pelo movimento Jovens por um Mundo Unido, grupo de oração Filhos da Rainha, profissionais voluntários da área de saúde, famílias, Igreja Católica e UPA José Rodrigues. Formando uma rede solidária de atenção aos venezuelanos. 

 

Próxima ação 

Uma próxima ação está prevista para ser realizada no mês de julho.


Compartilhe no

Facebook WhatsApp

Regolamento (500)