“Da práxis à teoria: tecendo uma ética da escuta e da reciprocidade”

 

 Cerca de 100 pessoas participaram do II Congresso Brasileiro de Psicologia e Comunhão no Centro Mariápolis Arnold, entre os dias 1 e 4 de maio. Eram psicólogos, educadores e profissionais de áreas afins, de diversos estados do Brasil, da Argentina, Polônia, Uruguai e Itália, reunidos com o desejo de aprofundar as diversas possibilidades do ser humano, por meio fraternidade e da experiência de várias perspectivas e abordagens.

O tema deste ano foi: “Da práxis à teoria: tecendo uma ética da escuta e da reciprocidade”, sendo a conferência principal realizada por Simonetta Magari, psiquiatra e professora da Universidade Católica Sacro Cuore, em Roma.

Magari ressaltou a nova forma de reciprocidade introduzida por Jesus, que envolve o homem, descreve a sua identidade, e o reveste de sentido na medida em que se doa ao outro. Destacou também que a reciprocidade é capaz de gerar solidariedade, inclusão e re-humanização dos laços sociais, desfeitos pelo individualismo globalizado. Por fim, abordou ainda a necessidade de criar um contexto psicológico capaz de dar um profundo sentido de segurança emocional e de estabilidade afetiva, sem as quais não pode haver paz: mais importante é poder se sentir seguro com outras pessoas; relacionamentos interpessoais são essenciais para uma vida significativa.

 

Para comemorar os 20 anos do grupo Psicologia e Comunhão, cerca de 20 artistas confeccionaram um painel e os participantes assistiram a uma linha do tempo dessa trajetória.

Na programação, ainda participaram de palestras, minicursos, experiências, rodas de conversas e troca de experiências entre os participantes.


Compartilhe no

Facebook WhatsApp

Regolamento (500)