Acolher quem é diferente de mim

 

Para acolher realmente o outro, eu devo abrir o coração e esvaziá-lo de todos os meus conceitos e de todos os meus preconceitos.
O outro deve encontrar em mim um coração que ama, que se esvazia para “preencher-se” dele, aceitando-o como ele é: com seus limites e suas diferenças, com suas qualidades e seus defeitos.
Quando não aceito quem é diferente de mim, o limite está em mim e não nele. O meu horizonte se limita a aceitar somente o que é igual a mim ou aquele que me convém.
Abrir o coração, alargar os horizontes e acolher cada um com a sua particularidade, vendo-o como alguém único, como alguém que, com a sua diferença, me enriquece.
A mente de Deus é infinita e a nossa criatividade se assemelha à sua, com as devidas proporções. Por isso somos diferentes entre nós. Cada um de nós é um ser único e irrepetível.

Apolonio Carvalho Nascimento


Compartilhe no

Facebook WhatsApp

Regolamento (500)