Acolher a todos nas suas diversidades

 

Este é um aspecto no qual ainda temos muito que crescer. Por mais abertos que sejamos, às vezes somos um pouco seletivos: escolhemos quem merece e quem não merece ser amado.
Em Mateus 5,43-49 Jesus explica que devemos amar até mesmo a quem consideramos inimigo. Ele diz que, se amarmos somente os que nos amam, não fazemos nada de extraordinário, porque os pecadores e os pagãos também agem assim.
Portanto, podemos começar por aceitar e acolher a todos nas suas diversidades. Servir a todos sem excluir ninguém.
Acolher-nos uns aos outros como somos, sem pretendermos mudar as pessoas.
O amor, por si só, opera as mudanças necessárias. Primeiramente em nós mesmos, e depois, à nossa volta.
Lembremos novamente o que chamei de “progressão do amor”: tolerar, aceitar (acolher), respeitar, dialogar, para chegar à comunhão com todos. E por fim: a unidade.

Apolonio Carvalho Nascimento


Compartilhe no

Facebook WhatsApp

Regolamento (500)