Agir para o bem de todos

 

Quem se dedica ao bem do próximo cria uma ligação com as pessoas, que podemos chamar de paternidade e maternidade espiritual. Gera novas criaturas, que nascem para o bem.
Essa dedicação é um empenho constante e não apenas um gesto isolado, porque quem gera um ser deve fazê-lo crescer e se desenvolver.
A vida pede isso de nós: que nos dediquemos ao bem uns dos outros.
Alguém pode pensar que seja uma utopia, um sonho irrealizável. Pois bem, é possível. Eu experimento isso na minha vida há muitos anos. Vivo entre pessoas que cuidam umas das outras em todos os sentidos: desde as necessidades materiais às espirituais.
Posso testemunhar que um mundo diferente, sem egoísmo, sem individualismo, é possível e já existe.
Há também um efeito inesperado: quanto mais me dedico ao bem do outro, tanto mais me sinto feliz.

Apolonio Carvalho Nascimento


Compartilhe no

Facebook WhatsApp

Regolamento (500)