Acolher o outro sem pressa

 

Quando acolho alguém, seja pessoalmente ou por chamada telefônica; quando recebo um cliente no consultório, mentalizo a seguinte frase: “O amor não tem pressa, o amor tem tempo”.
Com esse pensamento, procuro acolher o outro sem demonstrar que tenho um tempo limitado para estar com ele.
Acolher Jesus na pessoa do outro. Como eu poderia limitar o tempo para Jesus? Como poderia demonstrar-lhe que estou com pressa? _Nunca!
Para Ele eu dou todo o meu tempo. Aliás, dou toda a minha vida.
Portanto, quando a acolhida significa doação de si, não é feita às pressas, mas com disponibilidade completa de tempo.
Não usemos o relógio para acolher o outro. Usemos o “tempo”. O tempo do outro, o tempo necessário, o tempo do amor concreto.

Apolonio Carvalho Nascimento


Compartilhe no

Facebook WhatsApp

Regolamento (500)