Acreditar no amor do irmão

 

No amor mútuo, a confiança é fundamental. Eu confio no amor do outro, aceitando ser amado.
Quando existe reciprocidade no amor, existe um pacto, nem sempre explícito, mas consciente de ambas as partes ou mesmo de um coletivo de pessoas com o compromisso de amarem-se na mesma medida pedida por Jesus: “como eu vos amei”.
Eu acredito que o outro está pronto a dar a sua vida por mim e vice-versa.
Eu acredito no amor do irmão quando não o julgo, quando não analiso as suas ações, quando aceito o seu amor, na sua medida. Sem pretender nada a mais, nada a menos.
Eu acredito no amor do irmão quando compreendo que ele quer sempre e somente o meu bem; quando não exijo que ele o demonstre, porque sei que, mesmo em silêncio, ele vive a dimensão da reciprocidade pura e autêntica, assim como eu.

Apolonio Carvalho Nascimento


Compartilhe no

Facebook WhatsApp

Regolamento (500)