Em fevereiro de 1999 a Universidade de Malta conferiu a Chiara Lubich o doutorado honoris causa em psicologia, evidenciando que a sua doutrina «ofereceu uma chave hermenêutica original do sujeito humano, tendo fornecido um modelo de vida caracterizado, de um lado, pelo equilíbrio entre o respeito da individualidade da pessoa e a reciprocidade dos relacionamentos interpessoais e, por outro, pela avaliação positiva do sofrimento e daquilo que é negativo na história pessoal e coletiva. Desse modo ajudou a cultivar uma visão integral da pessoa humana no campo da psicologia». O interesse por essa abordagem original é expresso por centenas de profissionais e estudiosos, de diversos países.

Na pós-modernidade, enquanto o homem dobra-se narcisisticamente sobre si mesmo, a psicologia adota cada vez mais a convicção de que a mente possui um caráter relacional e que o relacionamento com o outro fundamenta e dá sentido à identidade psíquica de cada indivíduo. A experiência intersubjetiva revela-se então constitutiva dele, e as interações que favorecem o reconhecimento recíproco são vistas como basilares para o desenvolvimento funcional da personalidade.

Mas como o indivíduo pode alargar o espectro das suas relações interpessoais? Integrando-se com os outros até transcender-se. Na dinâmica relacional, de fato, o “eu” retorna para si mesmo enriquecido pela contribuição do outro. Existe, porém, um horizonte ulterior que hoje a psicologia espera. Consiste em não apenas captar e teorizar a reciprocidade da qual nasce a intersubjetividade, a leitura da mente e o reconhecimento do outro, mas também em explicitar aquela forma de reciprocidade, ainda inexplorada, que torna possível a comunhão entre os indivíduos e que enraíza-se no dom de si mesmo, na gratuidade. É nessa perspectiva de reflexão que articula-se o trabalho de “Psicologia e Comunhão”, com a intenção de conjugar as conquistas dos estudos psicológicos com as premissas e a práxis próprias do Movimento dos Focolares.


Compartilhe no

Facebook WhatsApp

Articoli

Escola Internacional de Psicologia e Comunhão para jovens em BH

Escola Internacional de Psicologia e Comunhão para jovens em BH

De 14 a 18 de julho foi realizada em Belo Horizonte (MG) a terceira Escola Internacional de Psicologia e Comunhão. A proposta da escola foi constituir-se num laboratório para estudantes e jovens psicólogos promovendo um diálogo entre as diversas linguagens e experiências que o saber psicológico proporciona na compreensão das relações interpessoais. Foi verdadeiramente um […]

[Leia mais]

De 14 a 18 de julho será realizada em Belo Horizonte (MG) a Escola Internacional de Psicologia e Comunhão.
Com o tema “O Encontro com o Outro: Empatia e Diálogo”, o evento é direcionado a jovens psicólogos e estudantes de Psicologia com até 30 anos.
As inscrições podem ser feitas pelo site http://psicologiacomunhao.wix.com/site

Compartilhe noFacebook WhatsApp

[Leia mais]

De 18 a  20 de setembro será realizado na Mariápolis Santa Maria, em Igarassu (PE), o VIII Encontro de Psicologia e Comunhão, intitulado “O encontro com o outro: Empatia e Diálogo”.
O Encontro Nacional de Psicologia e Comunhão é um momento de diálogo entre as diversas linguagens e experiências que o saber psicológico proporciona na compreensão […]

[Leia mais]
12