CA0026-200x141A Eucaristia sempre teve um papel importante na vida de Chiara Lubich, desde a sua infância. Seja a sua vida pessoal, a de suas primeiras companheiras, assim como a de todo o Movimento que se compôs ao longo dos anos, foi marcada pela Eucaristia. E não poderia deixar de ser assim, se considerar que Jesus Eucaristia é a alma, o coração da própria vida da Igreja.

A ação do Espírito Santo, por meio do carisma da unidade, provocava em Chiara e nas suas primeiras companheiras uma forte atração, tanto que não viam a hora de ir à missa, para partilhar toda a sua vida com Jesus Eucaristia. Mais tarde, quando começaram a viajar pela Itália, enquanto a paisagem passava da janela do trem, elas procuravam divisar as torres das igrejas, e com zelo dirigiam-se a elas, porque lá estava a Eucaristia, lá estava o Amor. Existe um elo maravilhoso entre a Eucaristia e a espiritualidade da unidade.

Chiara exprimiu-se assim sobre este grandioso mistério: “O fato de que, para dar início a este vasto movimento, o Senhor nos tenha concentrado sobre a oração de Jesus pela unidade, significa que Ele devia impelir-nos fortemente para o único que é capaz de atuá-la: Jesus na Eucaristia.

Como as crianças recém-nascidas nutrem-se instintivamente no seio materno, sem saber o que fazem, da mesma forma, desde o início do Movimento notou-se um fenômeno: quem dele se aproximava começava a frequentar a comunhão todo dia.

Como explicar isso? O que é o instinto para o bebê recém-nascido é o Espírito Santo para o adulto, recém-nascido para a nova vida que o Evangelho da unidade traz. Ele é levado ao “coração” da Igreja Mãe, e alimenta-se do néctar mais precioso que ela possui, no qual sente encontrar o segredo da vida de unidade, e da própria divinização.

A missão da Eucaristia, de fato, é tornar-nos Deus por participação. Misturar as carnes vivificadas pelo Espírito Santo e vivificantes de Cristo com as nossas nos diviniza na alma e no corpo. A própria Igreja poderia se definir como o “uno” provocado pela Eucaristia, porque é composta por homens e mulheres divinizados, feitos Deus, unidos a Cristo que é Deus e entre si.

Este Deus conosco está presente em todos os sacrários da terra e recolhe todas as nossas confidências, alegrias e temores.

Quanto conforto Jesus Eucaristia trouxe nas nossas provações, quando ninguém nos dava audiência porque o Movimento devia ainda ser estudado! Ele estava sempre lá, em todas as horas, esperando por nós, para nos dizer: ‘no fundo, o chefe da Igreja sou Eu’. Nas lutas e sofrimentos de todo tipo, quem nos deu força, a ponto de pensar muitas vezes que teríamos morrido se Jesus Eucaristia e Jesus em meio, que Ele alimentava, não tivessem nos sustentado?”


Compartilhe no

Facebook WhatsApp